” G R A U S   H I S T Ó R I C O S   E    R E L I G I Ó S O S  “

 O Capitulo Rosa Cruz é constituído de quatro Graus.

 


 

Capítulo Rosa Cruz

O Grau 15  é o Primeiro;                  “Cavaleiro do Oriente, da Espada ou da Águia”

O Grau  16 é o Segundo;                 “Príncipe de Jerusalém”

O Grau 17 é  Terceiro;                     “Cavaleiro do Oriente e do Ocidente”                                                                  

O Grau 18 é o Quarto;                      “Cavaleiro Rosa Cruz ou Cavaleiro da Águia e do Pelicano”                                   

Considerado umas das Iniciação mais bonitas e significativas da Maçonaria, pós   simbólica; aquele que já teve a honra, a oportunidade e o merecimento de passar   pela Iniciação do Grau 18, sabe o quão importante e único é aquele momento muito especial.

É uma Cruzada, contra a Ignorância, a Intolerância, o Fanatismo, a Superstição, a falta de Caridade e o Erro.

 

Participar desses graus considerados históricos, entronizando-os no coração, é vivenciar a obrigação do exercício da Virtude, levando à todos a ESPERANÇA, a HARMONIA, o AMOR, e CARIDADE ! 

É expandir a fraternidade para os não iniciados, socorrer a todos na medida da nossa condição econômica. Lembrando que ninguém é tão pobre, que não possa levar o conforto de um ombro amigo.

 

Ser um Cavaleiro Rosa Cruz é trabalhar pela união dos Irmãos (independente de graus); é armar-se de espada para combater a maledicência, a calúnia, a vaidade e a inveja.

Uma das mais belas características de “SER” Cavaleiro Rosa Cruz, é o devotamento à Pátria.

O Capítulo Rosa Cruz, é a grande família. A ritualística ensina que os Obreiros devem permanecer sempre unidos; e, quando da passagem de Irmão ao “Oriente Eterno”, é responsável pela realização da especial e respeitosa sessão fúnebre.

Cabe ao Cavaleiro Rosa Cruz manter a união de todos os Obreiros promovendo a alegria. De todas as cerimônias ligadas ao Capítulo Rosa Cruz, nenhuma supera a “Cerimônia de Endoenças”, que acontece somente uma vez ao ano, na Quinta-feira Santa. Nesse dia, todos os Cavaleiros Rosa Cruz devem comparecer, e os impossibilitados, unir-se-ão aos demais, em espírito de confraternização.

Espera-se com este pequeno texto despertar no Irmão, a vontade de conhecer os graus posteriores ao do Mestre Maçom.

Possuir os 33 graus do R.E.A.A., traz como “vantagem” principal a possibilidade de, em se conhecendo cada filosofia aplicada a cada grau, escolher um, como diretriz para o seu método de vida. O Maçom que “É” por inteiro, um Cavaleiro Rosa Cruz, ou Cavaleiro da Águia e do Pelicano, é uma excelente “Pedra Cúbica”, aderindo-se perfeitamente ao tecido social da Ordem.

Uma curiosidade: O Pelicano quando não encontra alimento para levar para sua prole, voa para o ninho, e com o próprio bico dilacera o peito, permitindo que os filhotes encontrem na sua carne, o alimento que os manterá vivos até o próximo nascer do sol.​

(Edit/J.Coutinho 33º)

 


O   E S T U D O    E   A    P R Á T I C A   É   O   Q U E    N O S   L E V A    A O    E N T E N D I M E N T O     E    A O    C O N H E C I M E N T O      D O   Q U E              É   V E R Í D I C O    O U   F A L S O  !  
(Por/J.Coutinho 33º)