Conselho de Cavaleiros Kadosch 

 


 

kadoshO Conselho de Cavaleiros Kadosch – terceira série de conhecimentos do Supremo Conselho do Grau 33 do R.’. E.’. A.’. A.’. da Maçonaria para a República Federativa do Brasil ministra os reais Graus Filosóficos, começando com o grau de Grande Pontífice ou Sublime Escocês (Grau 19), passando em seguida para os outros graus, nessa seqüência:
Soberano Príncipe da Maçonaria ou Mestre Ad Vitam (Grau 20); Noachita ou Cavaleiro Prussiano (Grau 21); Cavaleiro do Real Machado ou Príncipe do Líbano (Grau 22); Chefe Santo André ou Patriarca das Cruzadas (Grau 29) e culmina no Grau 30 chamado de Cavaleiro Kadosch ou Cavaleiro da Águia Branca e Negra.
do Tabernáculo (grau 23); Príncipe do Tabernáculo (Grau 24); Cavaleiro da Serpente de Bronze (Grau 25); Príncipe da Mercê ou Escocês Trinitário (Grau 26); Grande Comendador do Templo (Grau 27); Cavaleiro do Sol ou Príncipe Adepto (Grau 28); Grande Cavaleiro Escocês de
Uma boa definição sobre os Graus Superiores, está na página 371 do livro Kadosch, edição de 1980 do Irmão Rizzardo da Camino“ A Lenda de Hiram Abif, tão exaltada no Grau 3, o de Mestre Maçom, irá encontrar nos Graus subseqüente, uma amplitude tamanha que proporcionará o entendimento necessário para que a Lenda, se transforme em profundo conhecimento simbólico das reações psicológicas do próprio homem: o “Conheça-se a ti mesmo”, encontrará resposta e com isto, uma grande satisfação maçônica.”
Cada grau traz um grande conforto moral, um conhecimento destinado e praticado somente por aqueles que se comprometerem com a sustentação do ideário maçônico do servir. Temos o costume de não compreender com exatidão o sentido da palavra “servir”, alguns acham que é desempenhar funções ou estar ao serviço de alguém. Ledo engano! Servir é ir à frente, antecipar a necessidade do Irmão minimizando o dano ou favorecendo o ganho, é principalmente e acima de tudo SERVIR DE EXEMPLO, esta é uma das lições praticadas no Conselho de Cavaleiros Kadosch.
Outra lição é a humildade, no sentido original da palavra latina humile, de húmus (terra) recordem a primeira parte da iniciação, ser a base, servir de alicerce onde se constroem edifícios de alto valor moral.
Passar pelo Kadosch, receber os graus, participar dos trabalhos ou até mesmo colaborar na administração é compreender a máxima dos Cavaleiros Templários:- “Non Nobis Domine. Non Nobis, sed Nomini Tuo da Gloriam” 
“Não por nós, Senhor, não por nós, mas para que teu nome tenha a glória”, também interpretado como “Não a nós, Senhor, não a nós, daí a gloria ao Vosso nome”, ou ainda “Não por nós, Senhor, não por nós, mas para que teu nome tenha a glória”.
Ser um Kadosch é ser um exemplo de labor, cortesia, de um humilde Cavaleiro Sacro e Puro (Kadosch = sacro, sagrado, santo, puro, purificado).
A intenção desse artigo é incentivar os Irmãos a progredirem nos estudos maçônicos através dos graus posteriores ao de Mestre Maçom, porque vale a pena se dedicar, se comprometer aos estudos que servirão de ferramentas para a sua depuração moral e de caráter; os trabalhos visam o combate à vaidade, à ambição e o apego ao poder, pois não se deve esquecer as frases: “Se és apegado às distinções humanas, retira-te, pois nós aqui não as conhecemos” e “Se fores dissimulado, serás descoberto”.​

 


O   E S T U D O    E   A   P R Á T I C A   É   O   Q U E    N O S   L E V A    A O   E N T E N D I M E N T O     E    A O C O N H E C I M E N T O        D O    QUE                    É   V E R Í D I C O    O U   F A L S O  ! 
(Por/J.Coutinho 33º)